noticias

Segunda Linha de Transmissão do Tramoeste entra em operação no oeste do Pará

  • 20 de janeiro de 2020 - 12:22

O grupo Equatorial Energia colocou em operação duas linhas de transmissão e uma subestação de energia nas regiões oeste e sudoeste do Pará, para compor a área conhecida popularmente como Tramoeste. O feito é histórico e deve beneficiar cerca de 600 mil pessoas com energia firme e de maior confiabilidade. Realizada por meio da Equatorial Transmissão a obra contou com um investimento de R$ 860 milhões. “Nós não podíamos pensar em nada relacionado a crescimento da indústria, dos nossos portos sem que tivesse uma energia de qualidade. Então esse momento é histórico e agradecemos ao Grupo Equatorial que executou a obra com qualidade e em tempo recorde”, destaca nosso Presidente, José Roberto Branco Ramos.

A ACES teve papel estratégico ao longo dos anos, com várias correspondências enviadas à Brasília e reuniões de alinhamento com ministros para viabilizar esse segundo linhão para Santarém. O Lote 31 foi a leilão por várias vezes, até que em 2017, a Equatorial Transmissão, tornou-se a responsável pelo planejamento, projeto básico e executivo, implantação, operação e manutenção das linhas do Tramoeste.

Projeto da Segunda Linha de Transmissão começa ser executado

 

Em Brasília, ACES solicita ampliação do Linhão Tramoeste

 

ACES formará Grupo de Trabalho para acompanhar obras da Segunda Linha de Transmissão

 

Reforço de Energia Elétrica: Termoelétrica será instalada em Santarém

 

A construção das linhas e de todo o sistema que as complementa estava prevista para ser concluída em 60 meses. No entanto, a Equatorial entregou o trabalho em tempo recorde: 30 meses, ou seja, uma antecipação de dois anos e meio em relação ao prazo inicial. A celeridade nas obras teve como objetivo resolver de forma assertiva um problema antigo de fornecimento de energia na região, pois o linhão passava por esgotamento há alguns anos.

Os 436 quilômetros da linha de transmissão do Tramoeste passarão por oito municípios paraenses. Incluindo Santarém, Altamira, Anapu, Brasil Novo, Medicilândia, Mojuí dos Campos, Uruará e Vitória do Xingu. Ainda há 970 torres metálicas ao longo desse percurso para sustentar a estrutura do linhão.

Comentários

Assessoria de Comunicação

  • Keliane Sousa
    ascom@acestapajos.com.br
    Telefone:
    (93) 99218-3561

Conheça nossas soluções para a sua empresa.

Acessar
Destaques