noticias

Ministério Público e entidades cobram repostas a Anatel e Eletronorte sobre falhas no serviço de internet

Anatel fará estudo técnico para fornecer respostas

  • 02 de fevereiro de 2014 - 14:15
Reunião no MP

Reunião no MP

Nesta tarde (25), o Ministério Público, representada pela Promotora de Justiça, Renilda Guimarães e Procurador da República, Luiz Eduardo Outeiro, realizou uma audiência para discutir os problemas enfrentados no fornecimento e distribuição de internet em Santarém. Participaram da reunião o presidente da ACES, Alberto Oliveira, representante do Sindilojas, Fábio Aguiar, o assessor técnico da Aces, Graziano Guarany, o coordenador de Fiscalização da ANATEL, José Paulo Faro, o representante da Eletronorte, Flávio Roberto, Coordenadora do Procon em Santarém, Silvana Bezerra, representante do provedor de internet WSP Telecom, Elizeldo Macedo e o vereador Junior Tapajós.

O representante da Anatel informou que a questão do fornecimento de internet tem ligações diretas com a Eletronorte devido ao tipo de tecnologia da linha de transmissão e colocou a agência a disposição do MP e MPF para fornecer dados técnicos a respeito da qualidade do serviço e este foi solicitado pelo MP. Flávio Roberto afirmou que a Eletronorte possui uma malha de fibra ótica que atua no Brasil inteiro, sendo que aqui na região, existe somente a transmissão da Eletronorte e que deveria ter uma segunda alternativa, alegou que enquanto houver somente uma linha os problemas vão persistir e ressaltou que as ações devem acontecer em conjunto, cada um deverá cumprir com sua responsabilidade. “Existe responsabilidade dos provedores, das operadoras (Oi, Tim, Embratel etc), existe responsabilidade da Eletronorte que ela está no processo de transmissão e cada um tem que fazer sua parte para tentar resolver o problema”.

A Eletronorte promete fazer investimentos imediatos nos cabos de rede “Nós vamos fazer uma terceira saída da subestação Tapajós até a subestação Santarém. Hoje tem duas saídas, são dois cabos óticos que vem para cidade e vamos fazer o terceiro para ter mais garantia, ou seja, quando acontecer de dar problemas nos dois, temos um na garantia”, declarou Flávio Roberto.

Enquanto isso, as falhas no serviço continuam causando prejuízos à economia santarena é o que aponta uma pesquisa encomendada pela Aces ao Centro Avançado de Estudos Amazônicos (Ceama) para avaliar a “Qualidade da Internet em Santarém, no oeste do Pará, e os reais prejuízos causados pelas constantes interrupções e baixa velocidade das conexões”. A pesquisa entrevistou 131 agentes econômicos no período de 10 a 20 de fevereiro de 2014, em que indicou o desperdício efetivo de 5.462,19 horas sem acesso à internet por todos os segmentos totalizando um prejuízo de R$ 141,5 milhões nos últimos seis meses, levando se em conta as horas que as empresas, órgãos públicos, profissionais liberais, escolas e pessoas físicas utilizam, de fato, a internet para o desenvolvimento de suas atividades. Em dezembro de 2012, o primeiro estudo apontou um prejuízo para a sociedade no valor de R$ 93,7 milhões, em 180 dias.

“O Ministério Público solicitou um novo estudo atualizando o impacto que a cidade sofre com a baixa na internet e nós entregamos hoje, onde mostra que temos um prejuízo na ordem de R$ 150 milhões. Isso é um prejuízo muito grande, pois significa mais de 1000 empregos diretos que são afetados. Queremos que o MP dei prosseguimento nessas discussões para termos uma solução definitiva aos problemas de internet”, afirmou o presidente da ACES Alberto Oliveira.

Comentários

Assessoria de Comunicação

  • Keliane Sousa
    ascom@acestapajos.com.br
    Telefone:
    (93) 99218-3561