Reunião na sede da Aces

Na última segunda-feira (08/01), o diretor de Relacionamento da Celpa Equatorial, Gilliard Vaz esteve na Associação Comercial e Empresarial de Santarém (Aces) para apresentar a modalidade Tarifa Branca, criada pela Agência Nacional de Energia Elétrica – Aneel, com o objetivo de estabelecer preços diferentes para consumo, considerando estimativas dos custos para o fornecimento da energia. As empresas locais poderão aderir desde que tenham um consumo mensal superior a 500 kWh (quilowatts-hora).

A Tarifa Branca só será vantajosa para aqueles consumidores que conseguirem praticamente não ter o consumo de energia elétrica do período de ponta para o de fora de ponta. Do contrário,
optar pela Tarifa Branca pode resultar em aumento significativo da conta de luz.

No Pará, os horários são:

Ponta (das 18:30h às 21:29h)

Intermediário (das 17:30h às 18:29h e das 21:30h às 22:29h)

Fora de ponta (das 22:30h às 17:29h)

Valores

Reprodução: Cartilha Tarifa Branca

Instalação

A adesão por parte do consumidor deverá ser feita junto à Celpa. Após análise
do pedido, a concessionária tem 30 dias para fazer a troca do medidor de energia, no caso de unidades consumidoras já existentes, ou os prazos e procedimentos padrão para casos de novas solicitações de fornecimento.

Custos

A distribuidora é responsável pelos custos de aquisição
e instalação dos equipamentos de medição necessários
ao faturamento da Tarifa Branca. Porém, o consumidor
é responsável pelos custos decorrentes de eventuais alterações
no padrão de entrada de sua unidade consumidora.

 

Veja aqui  as informações detalhadas: CARTILHA TARIFA BRANCA

Os olhares dos visitantes e turistas em Alter do Chão estão voltados para um novo atrativo que compõe o paisagismo da vila balneária. Desde a entrega da pintura do letreiro de identificação turística de Alter, que aconteceu na quarta-feira (3), um número crescente de pessoas já faz circular nas redes sociais registros fotográficos no monumento turístico.

O projeto da Secretaria Municipal de Turismo (Semtur), da Prefeitura de Santarém, intitulado “As cores do Amor”, visa divulgar, através de caracteres e ícones inerentes aos aspectos turísticos, que identificam Alter do Chão, com a frase “EU AMO ALTER” de forma estilizada. De acordo com o secretário de Turismo, Pablo Barrudada, ainda faltam outros elementos para que o monumento paisagístico esteja completamente pronto. “Sabíamos do grande impacto visual que a identificação turística causaria, por isso mesmo somente com a pintura, foi liberado para que as pessoas pudessem fazer seu registro fotográfico, mesmo ainda não concl uído. Para a conclusão do projeto, faltam a iluminação e a jardinagem do local que deixarão ainda mais belo o letreiro”, explicou.

O turista de Campo Grande (MS), Paulo Henrique, que visita Alter a cada dois anos, afirma sempre se surpreender. “Eu e minha família achamos muito legal a ideia. Nos principais centros, onde o turismo é forte tem um letreiro para identificá-lo, isso é uma recordação que você leva em imagem. Venho com a família para cá, de dois em dois anos e Alter sempre nos surpreende. E agora com esse letreiro e com toda essa beleza da praia que fica atrás do letreiro, Alter ficou fantástica, mais perfeita ainda”, finalizou.

O Projeto da “identificação turística foi apresentado para o empresariado santareno e ao trade turístico de Alter, em maio de 2017, em uma reunião na Associação Comercial e Empresarial de Santarém (Aces). O projeto foi abraçado pelo empresário da rede hoteleira Paulo Barrudada, que atra vés do documento nº 274/2017, expedido pela Secretaria Municipal de Infraestrutura (Seminfra), datado de 18 de dezembro de 2017, recebeu autorização para a instalação permanente de uma escultura em forma de letreiro “Eu Amo Alter”, na vila balneária de Alter do Chão. “Alter do Chão tem uma grande importância para o turismo, não só de Santarém, mas de todo o Pará, por isso quanto mais visibilidade para a Vila, melhor. Nós, do Grupo Barrudada, sempre apostamos em ações inovadoras para a promoção do destino e percebemos que a proposta do projeto, apresentada pela Secretaria de Turismo em reunião na Aces, teria uma grande importância para divulgação de Alter e é isso que percebemos, hoje, principalmente nas redes sociais”, destacou.

O Projeto da Identificação Turística de Alter do Chão está sendo executado pelo artística plástico santareno Apolinário Oliveira.

Reprodução: Ascom PMS

O presidente da Aces, Roberto Branco e o prefeito de Santarém, Nélio Aguiar, estiveram em reunião no Ministério de Minas e Energia, em Brasília, nesta terça-feira (12/12) para tratar sobre a ativação de termoelétricas, com o objetivo de minimizar os afundamentos de tensão que ocorrem em Santarém.

No encontro, ficou definida a instalação da unidade geradora de 05 Megawatt, necessário para 2018. O ministro de Minas e Energia, Fernando Coelho Filho, consultará a ONS (Operador Nacional do Sistema Elétrico) para verificar os detalhes técnicos e viabilizar a autorização de instalação. Além disso, a demanda será colocada na pauta de prioridade da CME – Comissão de Minas e Energia, com agenda programada para o dia 04 de janeiro de 2018.

Até 2022 será necessário o uso de unidades geradoras, pois a solução definitiva virá com o funcionamento da Segunda Linha de Transmissão, que se encontra em fase de execução pela Equatorial Transmissão. “Conseguimos pautar a instalação da termoelétrica para 2018, porém vamos precisar aumentar essa carga nos próximos. São medidas paliativas que só serão solucionadas com as obras do Tramoeste”, esclareceu Roberto Branco.

Os executivos do Grupo Equatorial, responsável pela distribuição de energia no município, participaram do encontro e apresentaram a atual situação de geração e distribuição de energia elétrica na cidade.

Participaram do encontro em Brasília, presidente da Celpa Equatorial, Nonato Castro, senador Flexa Ribeiro (PSDB/PA), Deputado Joaquim Passarinho (PSD/PA), o Ministro da Integração Nacional, Helder Barbalho.

A Câmara dos Deputados aprovou nesta quarta-feira (6) o projeto que cria um programa para micro e pequenas empresas parecelarem as dívidas com o Simples Nacional, o chamado Refis do Simples.

Caberá a partir de agora ao Senado analisar a proposta.

Pelo texto aprovado pelos deputados, os débitos poderão ser pagos em até 180 parcelas, mediante o pagamento de entrada de 5% do valor total da dívida – o pagamento poderá ser parcelado em até cinco vezes.

O restante das parcelas poderá ser pago da seguinte forma:

  • À vista: com desconto de 90% nos juros, de 70% nas multas e de 100% nos encargos legais;
  • 145 parcelas: com desconto de 80% nos juros, de 50% nas multas e de 100% nos encargos legais;
  • 175 parcelas: com desconto de 50% nos juros, de 25% nas multas e de 100% nos encargos legais.

O valor mínimo das prestações será de R$ 300, exceto no caso dos microempreendedores individuais.

Poderão ser parcelados os débitos vencidos até a competência do mês de novembro de 2017.

Mais informações: G1